15 fevereiro 2008

What ever happend to food?

Ca em enTulhaHoma, tenho estado com uma certa dificuldade em encontrar pao. Sim, pao. Aquela coisa que se come As fatias, feito de farinha, fermento, agua e sal. Nesta cidadezeca da treta nao ha padaria, ou melhor, ha padaria mas nos Wal-Mart, Kroger, Food Lion, etc ... e aquilo que sai de la de dentro dessas padarias, apesar de denominado bread, nao E pao. Em vez de os ingredientes acima mencionados, o bread tem enriched flour (uma cena feita de prai uns 10 ingredientes diferentes), sugar/molasses/high fructose corn syrup, e uma mixordia de outros componentes que nao sou capaz de memorizar. O bread industrial (feito numa fabrica qq longinqua) E a mesma coisa. E tenho andado nisto, pacientemente, loaf apos loaf, etiqueta apos etiqueta, a tentar encontrar pao. Apos uns 30 loafs of bread, encontrei 2 breads remotamente parecidos com essa comida pre-historica do pao. O pumpernickel rye, um bread escuro, e o Sesame/Semiole, um bread claro. Feitos de farinhas varias, sabem bem e parecem-se com pao.
.
Mas nao E so o bread que leva coisas estranhas como high fructose corn syrup. Este adocante, ou melhor, esse veneno, tradicionalmente usado nas beverages como as colas, surge agora em toda a comida processada. E inacreditavel. E um exercicio "engracado" tentar encontrar comida processada que nao contenha este ingrediente.
.
Curiosamente, ontem enquanto contemplava estes pensamentos, eis que comeco a ouvir a entrevista de Michael Pollan no meu programa de radio favorito: Democracy Now!. Para quem quiser saber um pouco mais sobre o que aconteceu "A nossa comida", aqui tEm o link para a tal entrevista:
In defense of food. Podem ler a entrevista, ver o video, ouvir audio ... whatever suits you best. A nao perder.
.
E viva a Amy Goodman, pivot do Democracy Now!, pelo excelente trabalho que faz. "She is my hero!". Hoje, 6a feira, ela dedicou parte do programa A situacao em Timor Leste. "Imagine that!" E so uma nota final: a Amy Goodman E a jornalista americana que estava no cemiterio de Santa Cruz, Dili, durante o fatidico massacre. Como muitos timorenses, ela tambem recebeu os maus tratos dos militares indonesios durante o massacre do cemiterio de Santa Cruz. Uma mulher de coragem, ela ajudou a divulgar pelo mundo fora o genocidio do povo de Timor Leste.

2 Comments:

Blogger AD said...

Tens mesmo que ver o Dr. Strangelove, nomeadamente no que toca à obcessão que um dos protagonistas tinha relativamente ao flúor...

É mesmo de alugar aí no Bolaguebuster de Aiatolahtoma, pois são 2h bem passadas.

11:26 da tarde  
Anonymous Juan Hónimo said...

A Amy é uma Goodwoman.

11:47 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home